fbpx
A sua opinião

 

Hoje entramos no mundo dos #anfíbios… e neste artigo o lugar de destaque vai para o conhecido vulgarmente como o #sapo-do-Suriname (#Pipa pipa). É uma espécie com ampla distribuição na Amazónia, América do Sul, com algumas populações dispersas, nomeadamente em alguns pontos da Ilha Trinidad. Talvez não reconheças desde logo este #anfíbio com o corpo achatado e cabeça triangular, apenas pelo seu nome comum ou científico, mas se te descrever algumas características da #biologia deste exemplar, talvez te lembres de alguma imagem ou filmagem em documentários de vida selvagem onde tenhas visto este #anfíbio tão particular, e de certo modo diferente, e o que é diferente é sempre interessante, não é? E é por isso que este artigo é dedicado a esta espécie tão curiosa, para quem já a conhece fica então a saber um pouquinho mais sobre ela, para quem nunca ouviu falar, aqui está uma boa oportunidade para ficar a conhecer!

 

Pipa pipa – Arthur Chapman [Flickr.com]

#Pipa pipa, é um anfíbio noturno e diurno, que raramente se desloca até terra, prefere o ambiente aquático, particularmente locais com águas pouco agitadas e um pouco turvas. Este anfíbio é omnívoro, pode alimentar-se por exemplo de #insetos, pequenos peixes e crustáceos! Tem um comportamento de alimentação interessante, pois, sem dentes nem língua, quando sente uma possível presa perto, caso esta esteja na sua frente, eles abrem a boca e criam um género de “sucção” puxando o alimento diretamente para dentro da sua boca, é caso para se dizer que os aspiradores de hoje se inspiraram neste anfíbio, não é? Bastante curiosa, e eficaz maneira de se alimentar! Mas as peculiaridades desta fantástica espécie não ficam por aqui.

 

Pipa pipa (fotógrafo desconhecido)

Ora vejamos, os machos solitários, na altura da reprodução começam o seu “chamamento” pelas fêmeas, mostrando que estão aptos para acasalar e que estão à procura de parceira, esta “chamada” é feita na água de modo a atrair as fêmeas, e caso haja o encontro entre os dois, o macho tenta colocar-se por cima da fêmea, agarrando-a ao redor da parte inferior do seu corpo, e é aqui que a pele da região dorsal da fêmea começa a engrossar, à medida que o fluxo sanguíneo vai aumentando nesta zona. Mas porquê? Qual é o objetivo? Bom, isto ocorre pois será nas costas que esta fêmea albergará os ovos fecundados que resultam deste encontro, na verdade, a fêmea dá algumas voltas na água, e o macho terá que se agarrar a ela. Interessantemente, a cada volta ou cambalhota que a fêmea dá, ela liberta um ovo, que o macho fertiliza. A pele que já estava a ficar mais espessa continua a engrossar, com o intuito de os ovos ficarem completamente enredados na sua pele, como se cada ovo tivesse um berço feito da pele das costas da progenitora. A par desta peculiar etapa, posteriormente a isto, os ovos vão desenvolver-se na sua pele, e só sairão quando emergirem como pequenas réplicas em miniatura com pouco mais de um centímetro de largura, libertando-se através dos poros onde anteriormente estavam os ovos que deram origem a estes novos exemplares da #espécie. A fêmea carrega a descendência até estes estarem aptos a sair dos poros da sua pele, e quando finalmente todos os pequeninos são “expelidos”, a camada grossa de pele formada antes, é também perdida, e a vida solitária começa de novo, é de facto, um anfíbio que carrega as crias, literalmente, nas costas!

Esta espécie está listada como Least Concern (LC) pela IUCN red list, apesar de neste momento não ser uma espécie ameaçada, as populações desta podem ser afetadas por fatores como perda de habitat e degradação do mesmo, devido à expansão da agricultura e/ou exploração de madeira.

Isadora Pombeiro

 

Referências

IUCN SSC. 2015. ‘Amphibian Specialist Group. Pipa pipa. The IUCN Red List of Threatened Species: e.T58163A61414791’. Available: https://www.iucnredlist.org/species/58163/61414791 [Acedido a 20 novembro 2019]

Ramdatt K. 2015. ‘The Online Guide to the Animals of Trinidad and Tobago: Pipa Pipa (Suriname Toad)’. Ecology. Available: https://sta.uwi.edu/fst/lifesciences/sites/default/files/lifesciences/documents/ogatt/Pipa_pipa%20-%20Suriname%20Toad.pdf [Acedido a 19 novembro 2019]

Vaz-Silva, Wilian & Andrade, Tiago. 2009. ‘Amphibia, Anura, Pipidae, Pipa pipa,/i>: Distribution extension, new state record and geographic distribution map.’ Check List. 5. 10.15560/5.3.507.

 

 

 

 

 

AJUDEM-NOS

Save the

REPTILWORLDPARK

Project

Clic Here !

x

Informação COVID-19

Na sequência da pandemia mundial que afecta todos os países, com todos os inconvenientes sanitários e económicos que os acompanham. Lamentamos informá-lo de que o projecto Reptilworldpark, que ainda estava em vias de ser criado, há um mês, já não poderá ser criado na sequência da perda dos financiamentos previstos. Agradecemos sinceramente a todos aqueles que nos apoiaram durante os seus dois anos de preparação e, acima de tudo, prestem atenção, protejam-se!

Jeziel Carvalho
Responsável pelo projecto Reptilworldpark

***

Following the global pandemic that affects all countries, with all the health and economic disadvantages that go with it. We regret to inform you that the Reptilworldpark project, which was still in the process of being set up a month ago, can no longer be set up as a result of the loss of planned funding. We sincerely thank all those who supported us during their two years of preparation and, above all, pay attention, protect yourselves!

Jeziel Carvalho
Responsible for the Reptilworldpark project

You have Successfully Subscribed!